< Ver outros artigos

Verão: o uso excessivo do ar-condicionado e suas complicações

22/01/2016

Faz quase um mês que o verão começou e o impacto no dia a dia das pessoas, em diferentes cidades e regiões do país, já foi percebido. Em outubro do ano passado, a previsão do CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos) e do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) era que, das cinco regiões do Brasil, quatro enfrentariam temperaturas com até 4°C acima da média. Entre as localidades afetadas pela anomalia climática, apenas a região Sul do país estaria livre do superaquecimento provocado pelo El Niño com força recorde, de acordo com o Inpe (via g1.globo.com).

O fato é que, com calor excessivo, os hábitos diários das pessoas acabam sendo afetados e uma facilidade que deveria ser sinônimo apenas de conforto pode, se não tomados os devidos cuidados, ocasionar sérios problemas para a saúde. Do que estamos falando? Acertou quem respondeu ar-condicionado!

Como explica o professor Jamiro da Silva, da Unicamp, a função do ar-condicionado é resfriar o ar que circula pelo sistema. Mas, como resfriar é diferente de umidificar, resta para o aparelho respiratório as tarefas de filtrar, aquecer e hidratar o ar. Como este se encontra mais frio que o normal, o esforço despendido para as duas últimas tarefas torna-se ainda maior.

Jamiro explica que outros problemas surgem devido ao filtro do equipamento: são capazes de juntar fungos, bactérias e vírus, germes capazes de disseminar agentes causadores de infecções. Por isso, o professor alerta para o cuidado de serem sempre limpos e trocados quando necessário.

Além do esforço ao qual o aparelho respiratório é submetido e da atenção com a higiene do ar-condicionado, Jamiro chama a atenção para outro ponto: o choque térmico. Ele explica que, tanto para mais como para menos, devido a esse choque, o organismo realiza um acerto para acomodação. Alguns encontram mais dificuldade para realizar esse ajuste, como idosos, crianças e pessoas que fazem uso de determinados remédios para pressão. Além destes, os alérgicos das vias respiratórias também tendem a sofrer com o choque térmico.

Mas, como evitar o choque térmico? O professor explica que o mais indicado é fugir das temperaturas extremas. No caso do ar-condicionado, o excesso de frio é o que pode trazer complicações, visto que não é sempre possível fugir do calor intenso do verão. Outra dica dada por Jamiro é a aclimatação: por exemplo, desligar o ar-condicionado do carro um pouco antes de chegar ao destino ajuda na adaptação do organismo à temperatura quente que irá enfrentar.

LOGIN PARA farmacêuticos e balconistas ou médicos

Cadastre-se
Copyright 2017 Legrand - Todos os direitos reservados.